quinta-feira, 26 de setembro de 2013

As socas de pele de cabra

Eu sei que as eleições autárquicas se aproximam e que eu devia falar sobre isso. Deveria manifestar a minha tendência para este ou para aquele candidato, para esta ou aquela lista. Deveria dizer como a politica me desilude sempre e cada vez mais. Poderia dizer que DETESTO, repito DETESTO que indivíduos que nunca aparecem em lado nenhum nem cumprimentam ninguém, de repente parecem a Miss simpatia/fotogenia/socialização. Poderia ainda dizer que me irrita profundamente que, estando no poder há 8 anos, só num 3º mandato se proponham tomar certas medidas, mas também me irrita indivíduos que há 4 anos se indignavam contra as listas das quais agora fazem parte. Poderia dizer como são deprimentes os logótipos e os cartazes das campanhas. Poderia insurgir-me contra os milhões de euros gastos em brindes e ofertas inúteis aos eleitores. Poderia dizer que continuo sem saber em quem votar pois nenhuma lista me parece capaz de "surpreender". No poder local tem de haver rigor, claro!, mas não basta ser honesto, conhecido de todos e ter boa vontade. Tem de haver capacidade de união e mobilização das populações e sobretudo muita, mas MUITA, imaginação, ideias progressistas e inovadoras concretizáveis, e alguma dinâmica para as colocar em prática.

Mas não me apetece falar sobre nada disto.
Prefiro falar sobre as minhas socas de pele de cabra.

Na última Feira Medieval onde trabalhámos, em Queluz, tive um daqueles impulsos incontroláveis de pura gajice (vem de gaja). Bati com os olhos num monhé rodeados de pilhas de socas e, de repente, a minha mente começou a tripar como claras em castelo na panela da Bimby.  O meu cérebro tanto tripou, tanto bateu, que fez TILT e congelou na minha imagem versão Claudia Shiffer, alta, esbelta, de soca no pé, a desfilar...e sem eu saber como, o monhé tinha 20€ meus no bolso e eu tinha na mão um saco com umas socas dentro. Umas socas de pele de cabra.
Depois, lentamente, comecei a cair em mim...
"Cat, minha grande cabra, consumista, vaidoseca e impulsiva, para que raio foste tu gastar 20€ numa merda dumas socas de pele de cabra, feias como tudo, que provavelmente nunca vais calçar?"
Respondi a mim própria: "Cat, gastei 20€ numa merda dumas socas de pele de cabra, feias como tudo, que provavelmente nunca vou calçar por isso mesmo: porque sou uma cabra, consumista, vaidoseca e impulsiva."
Para me justificar a mim própria que não sou assim tanto tudo isso, obriguei-me a calça-las e... sabem que mais? ADORO-AS! Não me imagino sem elas. São optimas para o verão e inverno. Ficam bem com calções e gangas, com peúgas ou sem elas. E ainda digo mais: Não sei como (sobre)vivi 38 anos sem umas socas de pele de cabra! A minha vida vai mudar para sempre e eu nunca mais serei a mesma.

“Dê a uma mulher os sapatos certos e ela consegue conquistar o mundo.”
- Bette Midler
"Eu creio que política é a segunda profissão mais velha do mundo. Começo a perceber que tem muita semelhança com a primeira."   
          - Ronald Regan
 

7 comentários:

Anónimo disse...

Cat., não te vou chamar cabra nem consumista nem vaidoseca porque elas são simplesmente geniais !!! Chamo-te sortuda do caraças , porque também quero umas... Achas que têm o número de cinderela 40 ? Paula vedor

wolfinho disse...

Rir é o melhor remédio e acho k vou adormecer a rir. Só tu!

wolfinho disse...

Ah, quanto ás eleições, simplesmente não fiques em casa. .....

wolfinho disse...

Ah, quanto ás eleições, simplesmente não fiques em casa. .....

Anónimo disse...

Lllllooooolllllll

Kate Moch disse...

Se a tua posição na lista fosse mais ambiciosa, não tinha dúvidas Wolf.
Paula, emprestava para uma voltinha mas são 38 ;-)

Anónimo disse...

O país precisa de consumistas... miga! Boa sorte! MUito bom para variar... beijo! Beta