quarta-feira, 29 de abril de 2015

Somos uns mimados de m*rda, é o que é...

Sou sensível a catástrofes. Sou mesmo. Acontecimentos nos quais morrem milhares de inocentes transtornam-me mesmo. Nunca mais fui a mesma desde o 11 de Setembro, nem do Tsunami na Ásia. Fico doida com estes sismos constantes e tão mortais, Haiti, Japão, agora o Nepal...
Todo o ser humano deveria morrer muito velhinho, sem doenças, na sua cama enquanto dormia.
Mas infelizmente o mundo é um palco de injustiças e de flagelos. Umas praticadas por nós mesmos, raça humana, especialista em auto-flagelar-se e outras pela mãe natureza, qual vingança às ofensas que lhe fazemos todos os dias.

Tenho por habito dizer aos meus filhos que devem, todos os dias, agradecer a sorte que têm. Devem sempre valorizar e nunca esquecer que nasceram com uma estrelinha, um asterisco, no canto superior do ecran, e utilizar essa estrelinha, esse asterisco, em prol dos que não o têm. Ficam baralhados, perguntam porquê, desvalorizam...
Quando refilam porque não gostam do jantar, ou porque os obrigo a vestir umas calças que gostam menos, ou quando praguejam porque "a net está lenta" e o "jogo fica com lag", só me apetece esbofeteá-los até lhes deixar o rosto em sangue, até os dentes lhes saltarem todos da boca. Ingratos, injustos...que nem realizam a sorte que tiveram no momento em que se estrearam neste mundo. Podiam ter nascido, no mesmo dia, na mesma hora, mas na casa do lado..., na terra do lado..., no país do lado..., no continente ao lado...e aí o efeito borboleta iria fazer-se sentir. Pequenas mudanças que causariam enormes consequências. Respondem-me que o facto de comerem aquele broculo, não irá fazer diminuir a fome em Africa e que não jogar na net não acaba com a guerra na Síria. Têm razão. Mas eu só lhes peço para valorizarem, para terem noção, só peço que não lhes seja indiferente, e dentro do que está ao alcance deles, pensem, estejam atentos e sobretudo, ajam, porque há Africas e Sírias no nosso bairro, na escola, nas relações com os outros.

Aí olho-me no espelho e pergunto: E tu? Fazes o que pedes aos outros? Quando te parece mal não comprares aqueles sapatos porque, "meu Deus, viste o preço? aquilo é roubar!". Quando te revoltas com "este país da treta", quando..."Bolas que tempo horrível!", quando..."estou gorda e cheia de cabelos brancos", quando..."queria tanto ir a Nova Iorque", quando...quando...

Depois vejo vídeos destes, as lágrimas correm-me em fio, e fico com vontade de dar tudo o que tenho e ir missionar, de beijar o mundo inteiro e dizer o quanto amo as pessoas, e prometo solenemente que serei um ser humano melhor...sempre melhor...

...depois seco as lágrimas e vou trabalhar, que o meu dia-a-dia, vulgar e confortável, está à espera e todos sabemos que temos que fazer o que "é suposto"...


Este vídeo podia ser do sismo no Nepal, mas não é, é um vídeo feito após uma explosão bombista na Síria.

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Bandalheira XXII anos

Celebra-se hoje XXII anos passados da estreia da banda Bandalheira. O aniversário será celebrado na Fábrica de Cultura de Minde, a partir das 22h. A festa contará com a actuação de muitas bandas convidadas e a organização está a cargo dos festeiros do Espírito Santos, vulgo, Festa dos 40, ou seja NÓS!
Para além da música, podem contar com um bar de GINS fabulosos, a bela da Bifana e do Pão com Chouriço.
Não faltem, apareçam e bebam uns copos porque os bandalheira merecem e a Festa precisa de graveto! Mas sobretudo porque a vida são dois dias e são estes dias, ou melhor estas noites e todo o convívio gerado que deixa mossa no nosso metabolismo mas também nas nossas memórias e emoções.
Até logo!!!!



quinta-feira, 23 de abril de 2015

Não sei se é excesso de optimismo ou mesmo pancada...

...mas acabei agora o meu conto para concorrer ao 2º Concurso de Literatura Infantil do Pingo Doce.
O envelope tem de estar amanhã até às 18 horas nas instalações do concurso.
O conto está fraquinho e eu estou a cair de sono.
Que parvoíce!...Enfim,...mas quem não concorre não ganha de certeza, não é?
Vinte e cinco mil euros...tanta milha que eu fazia...

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Ah miúda valente!!!


Decorreu no dia 14 de Abril, em Rio Maior, mais uma fase do Concurso Nacional da Leitura, no qual participaram os alunos da escola de Minde Marta Neves Malik, do 7º E, Jaime Aguiar (o meu Jimmy) e Carolina Silva, ambos do 8ºE.

E... dos 96 participantes oriundos de todas as escolas do distrito de Santarém, a Carolina foi a grande vencedora! É ela que vai representar a nossa escola e o Agrupamento Escolas Alcanena na final nacional que decorrerá em Lisboa! 

É sempre motivo de grande alegria e orgulho para todos partilhar o sucesso dos nossos alunos!


Nelson Mandela disse que "Quando lemos, conseguimos viajar para muitos lugares, encontrar muitas pessoas e conhecer o mundo [...]" A Carolina há muito já começou a sua grande viagem!



A Carolina tem, entre muitas outras, duas grandes qualidade que, utilizadas em conjunto, dão muito bons resultados: é muito inteligente e sobretudo muito trabalhadora.

Parabéns Carol!!!!

sábado, 18 de abril de 2015

Diz que a OK Teleseguros...

...está a fazer castings para encontrar uma nova Marta.
(...) mulheres entre os 20 e os 39 (...)
Baaahhhhh!!!! P*#ta que pariu a OK Teleseguros! Mas quem é que quer ser a Marta?!...
Por amor de Deus!!!....

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Dicionário Bilingue da Piação

O Dicionário Bilingue Piação - Português, criado e editado pelo CIDLeS – Centro Interdisciplinar de Documentação Linguística e Social, é o primeiro dicionário de minderico no sentido lexicográfico do termo. O minderico é uma língua ameaçada falada em Minde e Mira de Aire, Portugal, (código ISO [drc]), por uma comunidade de 150 falantes activos e 1000 falantes passivos. Este dicionário bilingue e bidireccional (Minderico – Português / Português - Minderico), com um total de 2254 entradas, não se limita à versão impressa, sendo acompanhado também por uma versão digital multimédia adquirida automaticamente com a compra desta obra. Através da versão digital terá acesso a um conjunto de informações adicionais que complementam a edição em papel, nomeadamente elementos áudio de cada lexema, exemplos contextualizados com áudio, vídeos que exemplificam a utilização da língua, fotografias e detalhes extra que contextualizam e fundamentam a etimologia de cada lexema.

Elaborado numa perspectiva interdisciplinar, o dicionário, ao contrário dos demais, alia a história, os estudos culturais e sociais e a informática à linguística. Para tal foi feita uma inventariação exaustiva do léxico minderico, recorrendo sempre a dados primários (resultantes do trabalho directo com os informantes sob a forma de entrevistas (livres e com estímulo) e gravações de eventos comunicativos com e sem participação activa do investigador), a fontes linguísticas, históricas, geográficas e culturais existentes e a resultados de investigação anteriormente desenvolvida. Os dados primários, complementados com dados secundários já existentes (como por exemplo, as explicações de alguns lexemas apresentadas pelos autores/editores dos glossários desenvolvidos no passado pela comunidade), permitem-nos retratar de forma mais fidedigna a realidade linguística que o minderico representa.

Mais do que um simples dicionário, o Dicionário Bilingue Piação - Português é uma enciclopédia do minderico.


Portanto ninguém vai querer faltar ao lançamento deste dicionário que terá lugar no dia 3 de Maio pelas 17 horas no Museu de Aguarela Roque Gameiro em Minde (concelho de Alcanena).
Neste evento será lançado também o Mapa Interactivo de Minde que, entre muitas outras informações, contém um guia linguístico em minderico.

Para informações adicionais contacte Vera Ferreira através do email vferreira@cides.eu ou do número 963128280.

terça-feira, 14 de abril de 2015

WHITE PRIDE!




Feridas não pinta o cabelo!
Feridas tem brancos, que tem, mas não se importa.
Feridas resiste quando na cabeleireira lhe dizem continuamente "Mas tu não vais mesmo pintar?"
Feridas diz não às tintas e aos amoníacos (sim, já sei... diz que agora já não têm amoníacos... tá bem, tá...)
Feridas recusa raízes brancas e pontas escuras.
Feridas não se rende à tirania da ida à tinta de mês e meio em mês e meio.
Feridas diz não a madeixas, nuances, californianas, reflexos e tons sobre tons.
Feridas não quer ser uma velha de cara enrugada e cabelo anacronicamente castanho.
Feridas tem 44 anos e cabelos brancos, e não vê a hora de ficar assim:


Ainda este assunto que não interessa nem ao menino Jesus d´Os meus 40 anos - Parte IV

Eu sei que já não vem nada a propósito e também sei que tenho muitas outras coisas para falar aqui e não tenho tempo, mas não podia deixar de vos mostrar isto. (Este blog para mim funciona assim como uma espécie de registo, de diário público, vocês sabem...)
Os meus presentes dos 40 anos foram os melhores de sempre, à semelhança destes últimos 40 anos da minha vida que também foram os melhores de sempre :-).
Quando fazemos 40 anos já demos tempo aos amigos de nos conhecerem bem...de saberem aquilo a que damos ou não valor, e eu comovi-me. Sabem porquê? Porque eu sou uma desnaturada a presentear. Não tenho imaginação, não valorizo, descuido-me, não é por mal,...é meu...sou desligada, sou egoísta, sei lá...Shame on me! Shame on me! Eu quase nunca dou presentes de aniversário a ninguém! É um pouco como os parabéns no facebook, nunca ou quase nunca dou, e depois quando faço anos, valorizo! Cabra desnaturada e egoísta, é o que tu és!
Mas adiante, vamos ao que me trouxe aqui: os meus presentes.

 Chá e queijinho de muita qualidade, ou não fosse eu um bom garfo.
Thanks B!
 Dois livros brutais. O "Pássaros feridos" que eu andava fartinha de mencionar a série que vi tinha eu os meus 12 ou 13 anos (foi há mais de 150 anos, portanto!) e o outro de J. Rentes de Carvalho um autor português espectacular mas quase desconhecido em Portugal. A Feridas fez o valor de descobrir esta maravilha da literatura. Aconselho vivamente! Mesmo! Logo faço um post sobre o senhor.
Thanks E!



O Diário da Ferida Kahlo! Sim! Ele todo!
Mas tu ainda não tinhas o diário da Frida?! Perguntam vocês. Já! Respondo eu, já tinha. tenhos o diário, as cartas, os escritos, mas não ESTE diário. ESTE diário é a cópia exacta do diário verdadeiro, pagina após página, manuscrito e com os desenhos, tudo! No final ainda tem a tradução e a interpretação, página por página...
É de chorar...
Thanks S!
Uma Frida made by Maria Rita!!! My God, será possível uma coisa destas?!!!!...
Sem palavras...
Thanks MR!
Para além destas caixinhas dos namorados, um texto que eu escrevi no diário de uma grande amiga e companheira de aventuras de adolescência, transcrito pela própria nas folhas do seu diário. Incrível como algo que lhe escrevi há mais de 25 anos, faz tanto sentido hoje em dia...mesmo agora, dela para mim...
Thanks S!
Lenços...eu adoro lenços! Quem me conhece sabe...e sabe escolher as cores...
Thanks C!
Os crochets da minha mãe foram outro presente maravilhoso. O tempo e a arte de alguém é mesmo um presente sem preço, que nunca mais vou esquecer e que irei estimar e adorar para o resto da vida.
A minha mãe fez um naperon de crochet, um coelho e...tchan, tchan, tchan, tchan....outra Frida!
Nem mais! Um Frida em crochet made by "a melhor, mais habilidosa, mais sensível, mais tudo... mãe do mundo"! Mais ainda...ela deve ter andado a investigar porque um coração com "DR" não é para todos. Só os mais entendidos é que lá vão! DR = Diego Rivera, o grande amor da vida dela.

Oh Jesus! Tanta emoção!
Com tantas Fridas e Frida's stuff (tralhas/coisas da Frida) decidi, a partir do meu dia "40 anos", começar a coleccionar Fridas e Frida's stuff. Vou arranjar uma vitrina, iluminá-la por dentro, e expor as minhas Fridas. Parecendo que não, com estes presentes e o que já tinha, já encho umas prateleiras.
Mas, cheinho, cheinho está o meu coração.
Obrigada!

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Surpresa pela manhã


Fico estragadinha de mimos, é o que é.

Os meus 40 anos - Parte III

A parte 3 destas minhas Birthday Reports diz respeito ao dia 31, dia do meu aniversário.
Como já vos disse lancei o desafio ao meu "cara metade" que me levasse a fazer algo que nunca tinha feito no meu dia "40 anos". Á primeira vista não parece fácil, mas numa segunda abordagem ao assunto este revela-se bastante óbvio. Eu nunca fiz tantas coisas...

Coisas mais radicais: eu nunca fiz mergulho, eu nunca fiz pára-pente, eu nunca fiz jet sky...
Coisas mais ambiciosas: um nunca comi uma sopa da pedra em Amsterdão, nunca comi uma sandes de torresmos na Broadway em NY, nunca bebi um traçadinho no Taj Mahal...por exemplo...
Coisas mais simples: eu nunca andei de Tuk Tuk, eu nunca fui a uma loja da Prada (esta por acaso já!), eu nunca andei a cavalo...
Coisas mais sexuais:...eu nunca fiz...haaaaaa...nunca fiz....bem deixem lá isto!

Abstive-me de dar ideias e deixei o meu digníssimo esposo dar largas à imaginação. Ele andava tranquilo, confiante. Dizia que podia ir "montar" um festival com ele, era algo que nunca tinha feito. Eu ria e pensava: está a brincar, claro! Não estava! Na manhã do dia 31 acordei com o meu melhor sorriso, fiz as malas e procurei o passaporte, vesti-me tipo Lara Croft, arranjei uma mochila com boné, cantil, estojo de primeiros socorros, binóculos e perguntei "Então?! Como é?! O que é que me vais levar a fazer?"
Ele com a maior cara de pau respondeu: "- Óh Cat, eu não acredito que tu estavas a falar a sério! Tu queres mesmo fazer isso...sei lá o quê...uma coisa que nunca fizeste...sei lá...tu já fizeste tudo...não tenho ideias...lá estás tu com essas coisas...és tão exigente...blá blá blá..."
Eu despi os calções de safari, tirei o cinturão das armas da cintura, despi o arnês da escalada e enfiei-me na cama com o meu melhor amuo.
Ele percebeu a minha óbvia decepção e tentou remediar "Vá lá pensa lá numa coisa que queiras fazer...vamos!...".
Ainda ponderei amuar para sempre. Amuar durante os próximos 40 anos. Mas depois pensei que já não tinha idade para amuos e o melhor era mesmo tirar o melhor proveito possível da situação. O rapaz não teve nenhuma ideia mirabolante, não senhor, mas estava aberto a sugestões. No próprio dia e sem nada combinado, optámos pelo mais fácil: fomos andar a cavalo, que era algo que eu nunca tinha feito, nem ninguém cá em casa. Foi mesmo giro! Embora não tão giro como uma sande de torresmos na Broadway, claro...
Bolas...os homens precisam da nossa ajuda para tudo...até para nos prepararem as surpresas...















Precisam de ajuda para preparar as surpresas?! Pois, isso era o que eu pensava! Afinal ele tinha-me preparado uma bela surpresa. Aquilo que eu pensava que ia ser um jantarinho bem pacato, em família, com meia dúzia de gatos pingados, era um Mega jantar combinado com toda a gente sem eu saber! Fizeram-me chorar pela 17ª vez nestes dias. Seus marotos!...Iam-me matando do coração!...Ia-me dando a travadinha!...Olhem que eu já não vou para nova...








quarta-feira, 8 de abril de 2015

Adoro a vida no campo

É tão bom, à hora do almoço ter isto tudo só para mim.
Ontem Pilates, hoje piscina, estou atulhadinha de exercício físico!
Sim, quero viver até aos 106 como o Manel. Qual é o problema? Só me faltam 66.

terça-feira, 7 de abril de 2015

A Princess tem clientes mesmo especiais...

;-)

Trash


O meu filho Jaime tinha de ler o livro "Trash - Os rapazes do lixo" para qualquer coisa na escola. Ele tem o livro em casa porque eu, mesmo sem saber desta obrigação académica, tinha-lho oferecido há bastante tempo. Acontece que o livro deu recentemente origem a um filme com o mesmo nome, que até tem capa igual ao livro, e está disponível para quem o queira ver no conforto do seu sofá no Wareztuga (este supra-sumo da criação humana depois dos livros do Afonso Cruz e da base da Estee Lauder). Ora, perante uma situação destas, o que é que um puto normal de 13 anos faria? Via o filme no Wareztuga e dizia que tinha lido o livro, claro! Até a mim, que já deixei os meus 13 anos lá tão atrás, me parece preferível esta opção tão desonesta mas tão mais rápida e fácil...
Acontece que o meu Jaime não é um puto normal e no que respeita a livros ele nunca escolhe o caminho mais fácil, escolhe o que lhe dá mais prazer. Fez questão absoluta de ler o livro antes de ver o filme e lê-o em menos de 24 horas (começou num serão às 23h e terminou-o no fim da tarde seguinte), depois nesse mesmo serão todos vimos o filme.
Constatou que há muitas diferenças, não só em pormenores, mas também em situações no desenrolar da acção. Portanto, se não o lê-se nunca saberia e iria ser "apanhado" facilmente como um rato numa ratoeira. Acontece que é do Jaime que se trata e ele não brinca em serviço,...o meu menino da mamã... ;-)

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Os meus 40 anos - Parte II

Fazia parte dos meus pedidos de 40 anos fazer algo nesse dia que nunca tinha feito ou ir a um sítio onde nunca tinha ido. Eu fiz anos na Terça feira e na segunda tinha mesmo de ir a Lisboa em trabalho. Portanto juntámos o útil ao agradével, fomos todos e aproveitámos para ir a um sítio onde nunca tinhamos ido. Onde, onde? Ao Lisbon Story Center no Terreiro do Paço. É um centro interactivo onde se conta a história de Lisboa em duas linguagens: para adultos e para crianças. Está tudinho lá, os fenícios, os romanos, os mouros, os descobrimentos, o grande terramoto, a reconstrução. Um simulador do terramoto, com o candeeiro do tecto a abanar e tudo, e os armazéns do reino com cheiro a especiarias! Muito giro mesmo! Os miúdos adoraram e estiveram sempre atentos. Depois eu foi trabalhar enquanto eles foram todos ao cinema.
Bom dia este, de véspera de aniversário, mas inserido nas comemorações ;-)