quinta-feira, 28 de março de 2013

Mais cenas de gaja...

A primavera teima em não chegar mas eu já estou em modo primaveril.

...desculpem mas hoje estou com os meus níveis de gajisse elevadíssimos...

Este é mais um post de gaja. Se for homem evite-o.

Ai Jasus o que eu descobri!
Isto:
http://www.pipstudio.com/nl

Tenho para mim que a minha cama vai mudar de cores...e não há nada mais inspirador que uma cama de cara lavada. É ou não é?

SOCRATES NA RTP?

Mas afinal o que disse o nosso ex-primeiro ontem na RTP?
Como sabem eu não vejo televisão, não dou confiança a essa gente...

quarta-feira, 27 de março de 2013

HOJE É DIA MUNDIAL DO TEATRO!


O Teatro é muito importante para nós, em Minde, por isso, não posso deixar passar este dia sem dar os parabens a todos os que dedicaram e dedicam tanto esforço ao teatro na nossa terra.
Lembro-me muitas vezes do que a minha avó conta acerca dos primeiros espectáculos de teatro que se apresentaram em Minde.
Eram espetáculos encenados pelo Sr. Mota Veiga e apresentados na velha Fábrica de Malhas Mindense. Dessa altura a minha avó fala principalmente de duas peças, "As Duas Órfãs" e "A Vida de Cristo". Diz ela que nunca em Minde se fez nada tão bonito como aquelas peças. Acredito, foram as primeiras que viu e o impacto deve ter sido tão grade nela, que nunca mais nada se lhe comparou.
Depois contaram-me mais coisas acerca dessas peças e da maneira como foram encenadas.
Vinha gente de muito longe para as ver, vinha gente a pé da Serra de Santo António...
Os adereços e mecânicas de cena eram o que se podia arranjar. Uma das cenas tinha uma trovoada, cujo barulho era feito om uma folha de zinco a ser agitada. As pessoas que vinham da Serra ficaram cheias de medo e a pensar como voltariam para casa, com tamanha tempestade.
Alguns actores não sabiam ler, por isso tinham que aprender os papeis por lhos ouvirem repetir. Os que sabiam ler tinham que copiar os seus textos à mão, não havia cá fotcopiadoras. Mas isso também eu ainda cheguei a fazer, quando entrava em espectáculos no Colégio do Sagrado Coração de Maria. Toda a gente escrevia o seu papel à mão, com a freita que ensaiava a ditar. Mas para poupar trabalho, cada um só escrevia as suas falas e a ultima deixa. Ou seja, só havia um exemplar do texto completo.
Mas voltando aos espectáculos de Minde, n' "A Vida de Cristo", o irmão do Cristo estava a assitir ao espectáculo e, na altura da cruxificação, a cena era de tal forma real, que se levantou da plateia em aflição e gritou "Não façam isso ao meu irmão!"
Última palavra para o nosso queridíssimo mestre Sr. Rogério Venâncio, pelas mão de quem todos nós começamos (assim como os pais de muitos de nós e, nalguns casos, até os avós...), que do alto dos seus 93 anos, ainda vem assistir a ensaios e faz questão de dar a sua opinião, que nós muito prezamos.

terça-feira, 26 de março de 2013

Polity-kisses


Será já amanhã a grande estreia do nosso ex-primeiro ministro José Sócrates como comentador político na RTP, assunto que tem feito correr muita tinta em jornais, petições, indignação QB nas redes sociais. Pois...e tenho de admiti-lo,...a mim, este assunto não me choca assim tanto porque há factos que temos tendência a esquecer rapidamente e que convém lembrar:

1º - Sócrates foi 1º ministro de Portugal durante 6 anos e, bom ou mau, esse facto não poderá ser apagado da nossa História, História essa que, aliás, está bem recheada de nomes nos sucessivos governos bem duvidosos quando à sua conduta e quanto as suas capacidades para governar.

2º - A má gestão das finanças públicas já vem de longe, talvez mesmo desde o 25 de Abril. Desde aí a nossa caminhada para o abismo tem sido uma constante, num alternar entre os 2 maiores partidos do país com umas pseudo-coligações à mistura. Cavaco, Guterres (o menino bonito da ONU), Durão Barroso (o menino bonito da Europa), Santana Lopes (o menino bonito na noite Alfacinha) e Sócrates (o menino bonito dos Champs Elisées), nenhum deles foi suficientemente determinado e sensato para dar o necessário murro na mesa e reconhecer que TUDO estava mal e TUDO tinha de mudar. Parece-me a mim que o único que admitiu que "sozinhos talvez não fossemos lá", pressionado para o fazer é certo, foi mesmo José Sócrates. Que o senhor só fez foi merda?! Sim, é verdade. Mas terá feito assim uma merda tão diferente que os seus antecessores? Ou foi só o palhaço que estava em palco quando o teatro, inevitavelmente, desabou?

3º - Nas últimas eleições legislativas o dito cujo ainda conseguiu obter 24% dos votos o que mostra que pelo menos um quarto do eleitorado ainda acha que ele tem uma palavra a dizer.

4º - Sendo ele o "1º Ministro da Crise" e tendo sido ele a iniciar todo este processo com a Troika, não me parece totalmente descabido que seja o próprio a analisar a situação actual, a analisar o passado (o seu inclusive) e o futuro. Penso que até pode ter a interpretação que a sua consciência está, até certo ponto, tranquila.

5º - Ao contrário do que me deu a entender Jorge Gabriel no programa da RTP onde fui sobre a cultura em Portugal e que contou com a presença e os comentários da ministra da cultura PS Gabriela Canavilhas, em que acusava, entre dentes, a mão invisível do governo PSD de dominar a comunicação social e, principalmente, o canal público, parece que afinal não é bem assim e que a democracia em Portugal não é tão má como a pintam.

6º - O homem azedou-se com Cavaco Silva portanto não pode ser assim tão mau.

7º - O senhor deve vir cheinho de recomendações e dicas sobre a moda em Paris, tendências, novos looks, etc. e eu estou desertinha para ouvir os seus "fashion advisors"...

8º - Talvez a solicitação ao Sr. não seja para comentar a politica nacional, assunto sobre a qual ele já provou não pescar nadinha, mas antes para comentar o desempenho da Selecção Nacional nesta fase de apuramento para o Mundial 2014, juntamente com a Diana Chaves e a Luciana Abreu.

NOTA: Eu não sou PS nem gosto particularmente de José Sócrates. Tal como não sou PSD nem outra coisa qualquer. Sou apartidária. Não tenho cor politica. Identifico-me, isso sim, com esta ou aquela ideia, com esta ou aquela pessoa, mas tinha de falar no assunto que já me andava a fazer fernicóques.

sábado, 23 de março de 2013

AUTO-AVENTURA BULGARA

Ontem o dia manheceu com uma potente tempestade de neve. Muito vento, muita neve e as pistas quase todas fechadas.
O Meu Principe precisava de acompanhar uns assuntos no escritório de Sofia e, uma vez que não dava para esquiar, aproveitou. Os miúdos preferiram ficar no hotel, agarrados aos computadores e eu fui com ele. Até Sofia era cerca de uma hora de carro, estariamos de volta pela hora do almoço.
Lá fomos, eu fiquei num centro comercial, a procurar uma prenda para a Calos, que está quase a fazer anos e ele lá foi para o escritório. Perto da uma da tarde estávamos prontos a regressaer.
O tempo não melhorou nada, continuava a nevar e a fazer muito frio.
Já num caminho de montanha, tivemos o azar de pisar uma pedra com o pneu do carro e o penu furou...
Claro que, nestes casos, um azar nunca vem só. Tentámos mudar o furo, mas os parafusos tinham sido apertados com a máquina e vimo-nos aflitos. Parou um carro da policia, simpáticos, mas rapidamente descobriram que não tinhamos triangulo. Menos mal, não nos multaram.
O carro é um Peugeot, que tem um parafuso da roda de segunrança, para a roda não ser roubada.
Tinhamos o parafuso, mas a rosca estava moida e não foi possivel desapertar o diabo do parafuso.
Não havia remédio senão ligar para a assistencia em viagem. Tudo muito certo, excepto que todos os documentos do carros estão em bulgaro, ou seja, escritos em cirilico.
Com a ajuda dos policias, lá conseguimos ligar para a companhia. Mas, claro, o seguro era apenas contra terceiros e não tinhamos assistencia em viagem...
OK, mandar vir um reboque, a pagar, e esperar dentro do carro, que estava um frio de rachar. Lá chegou o reboque. E agora, vamos para a frente, para Samokov ou para trás, para Sofia? Claro que ao tipo do reboque lhe interessava ir para trás, que erade lá que tinha vindo, por isso, toca a andar mais 30 Kms para trás, para a aoficina do amigo dele.
Chegados, ninguém falava inglês. Sinais, sinais, lá nos entenderam. Olham uns para os outros, macaco para cima, macaco para baixo, decidem partir o parafuso à marretada.
Entretanto a mim mandatam-me para o "escritório" da oficina onde estava uma senhora a jogar às cartas no computador e onde acharam que eu estava mais quetinha (e  estava!). Estava, também, aflitinha para ir à casa de banho e tentei entender-me com a senhora: Toilette? Nada. Escrevi WC na minha mão... nada. Deu-me um papel... fiz o desenho
...nada. Desenhei uma sanita... nada.
Por fim lá me entenderam.
Uma hora depois, pneus mudados da frente para trás, marretadas em todos os parafusos de segurança do carro, muita conversa com ar entendido entre os empregados da ofcina lá deram o carro como pronto.
Pagar... pois, não é todos os dias que se apanham um par de turistas que não entendem a lingua. Vai de cobrar 4 vezes o valor do serviço. Paga e não bufes, que nem sequer podes reclamar que ninguém te entende.
Finalmente, de regresso a Borovets, onde chegámos pelas 4 da tarde. Pelo meio lá conseguimos ligar aos muidos a contar o que se passava. Felizmente tinhamos deixado algum dinheiro e eles puderam ir comprar umas batatas fritas e umas bolachas.
Ou seja, em vez de passarmos o dia a anhar no hotel, a beber umas bejecas e a brincar com os miúdos, vivemos uma fantástica auto-aventura bulgara...
Mas hoje o tempo estava fantástico, as montanhas cheias de neve e fartamo-nos de nos divertir pelas pistas abaixo!

sexta-feira, 22 de março de 2013

4º Trailer promocional d' O Escritório - "A Cleyde da cafetaria"

video

A Clayde veio do Brasil onde trabalhava em biquíni. Em Portugal "arrumou" um emprego na cafetaria do escritório. Não gosta de Portugal que diz ser frio e sem graça, mas o seu emprego é o emprego dos seus sonhos. Todos os dias atende homens bem vestidos e perfumados, cheios de "frescuras". Será que ela se fica por lhes servir o café?...

quinta-feira, 21 de março de 2013

CÁ VÃO AS FOTOS DOS PRIMEIROS DIAS

 A sala central do hotel de gelo, daqui saem as portas de todos os quartos e o bar ao fundo.
 
 Um dos quartos. Eram todos diferentes. Nós escolhemos o Wonderland, com esculturas 
da Alice e do Coelho.

 A lareira de gelo, com lenha de gelo.

 O mais novos prontinhos para dormir.



 A capela de gelo.



 A Última Ceia na parede da capela.


 O patio interior do castelo do Drácula.É completamente diferente do que aparece nos filmes.

 No alto da montanha em Borovets.

quarta-feira, 20 de março de 2013

De borovets para o mundo...

Amiguinhos e amiguinhas a vossa Feridas esta em Borovets, Bulgaria. Este ano as ferias da neve, por motivos óbvios, foram programadas para a Roménia e Bulgária. No domingo chegamos a Bucareste de madrugada. Na segunda viajamos de carro todo o dia e chegamos mesmo a justa para apanhar o ultimo teleférico que nos levou ao cimo da montanha onde dormimos num hotel todo de gelo. Foi mesmo fixe! Os miúdos adoraram, até porque foi uma surpresa. Ontem saímos do hotel do gelo, onde estava uma tempestade de neve que nao se via um palmo e fomos ver o castelo do Dracula. Dormimos em Bucareste e viajamos de carro até a Bulgária. Agora aqui estamos, num sítio lindo, cheio de arvores enormes com pistas de ski pelo meio. Amanha se o resto da minha família me der acesso a um computador, ponho umas fotos. Hoje estou limitada ao i-pad, por isso nao consigo senão escrever. Calitos, tenho muitas saudades tuas, só aqui faltam vocês cinco para isto ser perfeito.
Atenta, veneranda e obrigada,
Me despeço com sentida amizade
Feridas

Hehehehehehe....


terça-feira, 19 de março de 2013

Vejam bem...

...para que me haveria de dar:
a pedido de várias famílias, a próxima peça do Boca de Cena talvez seja um clássico. Porque não Tennesse Williams? Sempre sonhei fazer de "Gata em telhado de zinco quente", qual Marilyn Monroe.

segunda-feira, 18 de março de 2013

Inveja da boa!

Recebi neste instante esta mensagem da Feridas:

"Estamos no alto da montanha e vamos dormir num hotel de gelo. Muito obrigada pela sopa. Beijinhos"

...alto da montanha...hotel de gelo....ai Jasus...

terça-feira, 12 de março de 2013

HUMOR FRATERNO

Ontem no jantar de aniversário da minha avó, os meus pais e a festejada estvam a tentar lembrar-se de um nome de uma pessoa. Era Zé... qualquer coisa... estiveram nisto que tempos..., Zé isto, não, Zé aquilo, não...
Até que o meu irmão, com o humor que lhe é caracteristico, se saiu com esta:
- Um tipo alto? Cabeçudo? É o Zé Pereira!
Ah, ah, ah!

Bolas! Isto é assustador!...

"Exmo.(a) Senhor(a),

Já pode consultar no site e-fatura (www.portaldasfinancas.gov.pt)

, as faturas relativas ao mês de janeiro em que solicitou a inserção do seu Número de Identificação Fiscal (NIF) como adquirente, e que as empresas emitentes comunicaram à Autoridade Tributária e Aduaneira (AT).
A legislação em vigor estabelece que as empresas comunicam à AT as faturas emitidas, até ao dia 25 do mês seguinte, podendo os consumidores consultar e recolher as que estão em falta a partir do dia 1 do segundo mês seguinte.

Caso constate a falta de alguma fatura emitida com o seu NIF e que tenha em seu poder, pode inseri-la no sistema a partir de agora.

Até agora mais de 440 mil consumidores já inseriram faturas no Portal das Finanças.

Muito obrigado pela sua atenção.
Com os melhores cumprimentos,

O Diretor-Geral
José António de Azevedo Pereira"
 
Este ministério das finanças está assustadoramente omnipotente!
Ainda ha-de chegar o dia em que teremos de descarregar no portal das finanças o ficheiro SEX-T com o registo da nossa performance sexual do respectivo mês.
Xiça Gaspar!
 

segunda-feira, 11 de março de 2013

BOLINHO PARA A MINHA AVÓ QUE FAZ HOJE 92 ANOS


Sem as velinhas

Com as velinhas (um pouco tortas...)


Pormenor das florzinhas do meio, tudo feito por moi!

O que mata as ideias

http://imagensdemarca.sapo.pt/entrevistas-e-opiniao/o-que-mata-as-ideias/

Concordo em absoluto aqui com o amigo João Geada, embora me permita acrescentar que quando a água do rio não presta para nos fazer nadar, talvez tenhamos de ganhar asas e aprender a voar...

(Amei ML!)

sexta-feira, 8 de março de 2013


É tão bom ser pequenino e dormir com os amiguinhos todos na cama!

O Bolo do ano de MCMLXXV

No passado fim de semana a malta de Minde nascida em 1975, onde eu me incluo, fez uma jantarada daquelas. Era imperativo haver um bolo para cantar os parabéns a todos por mais um ano, e eu ofereci-me para essa tarefa. Claro que não comprei um bolo, fiz um bolo.
Aqui ficam as fotos deste maravilhoso exemplar de 3 andares.

A Feridas diz que nós conseguimos fazer o bolo da Profissão de Fé (Comunhão Solene) dos nossos filhos que será em Maio próximo. Alguém tem dúvidas?!....

Ok, para este, contei com a ajuda da mãezinha.....

 Por dentro

Por fora

Lindo por fora e maravilhoso por dentro, que faz deste bolo uma mistura de Irina Sharik e Madre Teresa de Calcutá.

...e não, não vou falar no dia da mulher, que é uma coisa que me irrita!
Não percebo qual é a emoção de esperar pelo 8 de Março para ir em excursão atirar uns gritinhos parvos e histéricos num jantar com 50 mulheres, histéricas também, ou num concerto de Tony Carreira no Pavilhão Atlântico. 
Não somos mais nem menos que os homens, somos iguais (com a excepção que ficamos mais bonitas nuas), precisamos uns dos outros e assim é que é bonito.
Os dias da mulher querem-se TODOS, ok?!...

E se este dia foi inventado para lembrar as mulheres vitimas de violencia, maus tratos ou discriminação por esse mundo fora, então, em vez de inventarem um dia em que o gajego anda todo aos saltos, melhor tivessem inventado um ferro em brasa para enfiar no truquelho* dos autores dessas barbaridades.

*truquelho - anús em Minderico

quarta-feira, 6 de março de 2013

3º Trailer Promocional d' O Escritório - "O Rui do Marketing"

O Rui do Marketing é um homem sensível, delicado, culto, bem cheiroso, que gosta de dançar, enfim...um homem com tudo o que uma mulher gosta.
Tudo?!...
Bem...talvez não!...
 

A PRIMAVERA ESTÁ QUASE AÍ (AINDA QUE NÃO PAREÇA NADA...)

Chuva sem fim... O tempo tem estado... a modo húmido, vá.
Mas a Prima Vera vem a caminho, já lhe estou a preparar o quartinho de hospedes.
É uma coisa que me espanta todos os anos, a regularidade da natuureza. Está frio, chove, mas as árvores sabem que está na hora. Começam a cobrir-se de flores, de folhinhas novas, muito tenrinhas e quase sem cor. As árvores nesta altura lembram o queixo de um adolescente, com três pelinhos mal semeados, no sítio onde florescerá uma frondosa barba.
Adoro a meneira inexoravel como a natureza encara o tempo. Pura e simplesmente está-se a borrifar para o que se passa à volta, faz o que tem de fazer. Crescem flores e frutos nas alturas certas, caem as folhas quando é tempo, com a maior indiferença a tudo o que se passa à volta, a quem nasce e morre, ao que se constroi ou distroi ao seu lado.
Custa-me não apanhar a azeitona em Outubro. Custa-me ver que a natureza cumpriu o seu papel, floresceu, frutificou, exibe os frutos pronto para colher. Custa-me ver a árvore a cumprir o seu papel e saber que nós não cumprimos o nosso. Parece-me um desperdicio de energia por parte da natureza, sito-me em falta para com a árvore, ela faz o que lhe compete e eu não.
Gostava que as pessoas fossem regulares, como as árvores. Todos a saber o seu papel e a cumpri-lo à risca, o melhor possivel.
 Mas isto sou eu, que hoje vi uma árvore a começar a ficar cabeluda e me puxou a veia romântica...

terça-feira, 5 de março de 2013

A SUPER MULHER

No fim de semana passado surgiu-me a oportunidade de ganhar algumas dezenas largas de euros para a minha unidade de escuteiros. Isso implicava confecionar uma sopa para cerca de 400 pessoas. Pus-me a fazer contas e concluí que precisava de cerca de 100 litros de sopa.
A coisa parecia um pouco assustadora. Apesar de ter uma família de cinco, não costumo cozinhar para tanta gente.
Então, é como é natural, antes de me atravessar com uma tarefa que não conseguisse cumprir, mandei um SMS à Calos a perguntar para quantas pessoas ela já tinha feito sopa e se achava que nós conseguiamos fazer sopa para 400. Rapidamente me chegou a resposta: "Claro que sim. Não custa nada". Reparem no pormenorzinho, a minha primeira reacção é mandar uma mensagem à Calos e a resposta dela é "claro", sem sequer perguntar quando, como e para quê.
Ontem confirmei tudo: fazer sopa para 400 pessoas, segundo ela é canja (literalmente...), no BTT faz para 800!
E pronto, o nosso proximo projecto é sopa numa panela onde dá para tomar banho.
A minha Calos é como o homem da Regisconta: AQUELA MÁQUINA!!!

sexta-feira, 1 de março de 2013

75.000 VISITAS! VAMOS FAZER UM BALANÇO

Pois já vamos em mais de 75.000 visitas nesta nossa xafarica.
Este é o quarto ano de Feridas e Calos.
A Calos já tinha tido outro blog antes deste, para mim foi a primeira vez (e toda a gente sabe que a primeira vez é sempre especial).
Um dia, à hora do almoço, fui ter com a Calos à loja de briquedos que ela já teve e já não tem.
Já não sei quem disse: nós deviamos era ter um blog. E a outra respondeu: Olha...
Pronto, daí até aqui foi um pulinho.
Lembro-me de, nessa mesma tarde, lhe ter telefonado, a conduzir: amiga, lembrei-me de um nome tão bom que até me parece dificil que não exista já: nós fomos fãs da Frida Khalo, não somos?, pois o nome é Feridas e Calos. Uma é a Feridas e a outra é a Calos. Ela concordou. Próximo passo, dois papelinhos, um a dizer Feridas e outro a dizer Calos. Tinha que ser por sorteio. Ela tirou primeiro.
A seguir foi o trabalho dela, o design da págima. Encontrar avatars para ambas (descaradamente roubados da internet) e escrever aquela frase que está no titulo (tem um nome, mas eu não me lembro qual é). Em relação aos avatars, há uma coisa engraçada. Eu identifico-me de tal maneira com a minha bonequinha, que me parece que me estou a ver ao espelho. A Calos tem no quarto dela uma série de gravuras desta pintora, entre as quais, esta que é o meu avatar. No outro dia entrei lá e disse-lhe, muito surpreendida: olha, tens ali uma fotografia minha?...
Por fim, tudo ficou pronto.
Era só começar a mandar disparates para o mundo!
No principio isto era mesmo só para nós. Mas a pouco e pouco começámos a ter algumas visitas e a coisa tornou-se mais gira.
E agora é como ir regando uma planta.
às vezes apetece mais escrever, outras vezes menos.
Escrevemos quando estamos contentes ou tristes, quando alguma coisa nos indigna, ou quando nos sentimos mesmo orgulhosas dos nossos projectos.
E é bom haver desse lado quem comente, quem nos apoie ou nos mande à merda.
"Enquando foi só um bom momento, deu..." (Trovante). É assim, até que nos apeteça.