segunda-feira, 10 de setembro de 2012

As touradas

Eu sei que a minha opinião não conta para nada e que também não interessa a ninguém mas, como é do conhecimento geral, as opiniões são como as vaginas: cada uma tem uma e se quiser dá-la, dá.

Cá fica a minha:

Do alto da minha ignorância em apreciar/valorizar/aceitar este tipo de entretenimento de pura violência, tenho de admitir que, quanto mais olho, mais dificuldade tenho em saber quem é a besta em tudo isto: o touro, o toureiro, os espectadores ou as pessoas como eu que, tendo pena do touro que não pediu para estar ali, se estão a cagar para aquela merda e têm que pagar transmissões num canal televisivo nacional, como se de um serviço público se tratasse.
Vão mas é trabalhar e deixem os bichinhos em paz.

4 comentários:

Anónimo disse...

Gostei da abordagem á Teresa da Gaga.

Feridas disse...

Eu gosto de touradas. Não vejo grande diferença entre morrer na arena e morrer num matadouro. O destino final é o mesmo: o prato.

wolfinho disse...

Não sendo grande aficionado, gosto de ver as pegas principalmente quando o touro ganha a primeira.

O que não gosto de ver é quem é contra, se manifestar de forma estupida não respeitando quem gosta.

Em democracia todos temos o direito a manisfestar a nossa opinião, sabendo respeitar o espaço dos outros.

João Afonso disse...

Será uma oportunidade de negócio? Exportar touradas para o leste... vou pensar nisso!
Afinal de contas, as Bullfights, em Albufeira não são touradas portuguesas no estrangeiro?

Afonsescu