segunda-feira, 14 de maio de 2012

A Boneca de Kokoschka


 «O pintor Oskar Kokoscha estava tão apaixonado por Alma Mahler que, quando a relação acabou, mandou construir uma boneca, de tamanho real, com todos os pormenores da sua amada. A carta à fabricante de marionetas, que era acompanhada de vários desenhos com indicações para o seu fabrico, incluía quais as rugas da pele que ele achava imprescindíveis . Kokoschka, longe de esconder a sua paixão, passeava a boneca pela cidade e levava-a à ópera. Mas um dia, farto dela, partiu-lhe uma garrafa de vinho tinto na cabeça e foi para o lixo.»

Uma sinopse extremamente redutora para um grande livro que, embora não o mencione, é baseado em alguns (poucos) factos reais. Este Afonso Cruz é um senhor e se eu mandasse era Nobel da Literatura.
Ah pois era!

1 comentário:

Silvia Mota Lopes disse...

nossa ainda bem que foi na boneca...hoje no jornal vi que um homem deu com uma garrafa na cabeça da mulher...matou-a e diz que não se lembra de nada!!!