quarta-feira, 2 de março de 2011

MENINAS

Fui sempre uma boa menina. Nunca fiz disparates de maior, fiz sempre o que me mandavam, obedeci aos meus pais...
Quem me conhece deve estar a rir-se... pois se era (e às vezes ainda sou) o espelho da loucura e da rebeldia... mas era só por fora. Por dentro sofria quando desiludia os meus pais, escolhi o curso que sabia que mais lhes agradava (apesar de nunca mo terem pedido). Apanhei só as bebedeiras suficientes, fui expulsa de aulas só 2 ou 3 vezes, que me lembre, fumei os charros suficientes para saber que aquilo não era para mim, namorei, casei e tive filhos tudo dentro do devido tempo e com a decência protocolar.
E não me arrependo. Nem das que fiz, nem das que não fiz. Correu bem. Podia ter corrido mal. Para alguns correu, (basta um soprozinho de azar para as coisas se estragarem todas), mas comigo correu bem.
Não me estou a tentar vender, estou só a comparar-me com as adolescentes e pré adolescentes de hoje. As meninas. Os rapazes parecem-me mais ou menos iguais. Mas as meninas não...
Hoje é tudo tão diferente que me assombra.
Assombra-me que as meninas já não se conduzam pelos mesmos padrões de comportamento de há tão pouco tempo. E digo isto sem quaisquer rebates de moralismo, machismo ou outros ismos do género... estou só a constatar factos que observo.
As meninas hoje já não se importam de ser postas fora da sala de aulas, de dizer palavrões dos mais cabeludos com a boca ou com o resto do corpo, de sair seja com quem for e para onde for, sem se importarem com o que pensem ou não delas ...
Ah, que é a igualdade dos sexos e a libertação feminina!
Uma poucachinha de merda!... Porque é que a libertação se faz baixando o nível? Porque é que não foram os rapazes a passar a ser melhor educados e não as meninas a piorar o comportamento?
O que é que elas têm de melhor, são mais, fazem com outra liberdade, com este tipo de atitudes?
Não entendo, não entendo...
Parece-me que ninguém ganha com isto...
Mas isto sou eu, que me dá às vezes ataques de botadealastiquice...

7 comentários:

teacher disse...

Dear Feridas, mais uma vez, estás cheia de razão, e eu que o diga pois na qualidade de teacher tenho observado, com muita tristeza, esse lamentável fenómeno, apesar de achar que é cíclico. Mas eu também tenho uma filha a entrar na adolência, essa fase estúpida e inevitável, e vejo que não é fácil para as meninas tentarem ser o que lhes transmitimos (respeito, dignidade, feminilidade e outros epítetos acabados em ade e osa), sem deixarem de seguir a moda das amigas parvalhonas e rebeldes. Continuo a tentar fazê-la ver o que é certo e o errado, não desisto porque acredito que é principalmente uma questão de educação e transmissão de valores.
P.S. Adorei a "poucachinha de merda"!
Bye

Kate Moch disse...

Tens razão miga! O gajedo já não é o que era, não senhor!

A propósito: de onde apareceram estes seguidores todos? Um...é meu primo e a estrangeira e tudo...

mindrica disse...

Olá "mamães"!
Eu ainda não sou mãe mas também sublinho todos esses epítetos.
A única situação que tive foi quando estive a dar catequese a um grupo de 12 anos... na verdade foi uma experiência terrível e muito aflitiva porque não se consegue fazer nada, principalmente das "petizas".
São os telemóveis, as conversinhas paralelas, os risinhos banais, as repostas entediadas...
As meninas, hoje, são uma fusão de "barbies" com "moranguitas", quando convém, e "maria rapazonas" provocadoras.
Também quero acreditar que a rebeldia seja cíclica!

teacher disse...

Dear Feridas, outro P.S....
também gostei do botadelastiquice que me fez lembrar Botadelastiquix... não era um nome bom para uma personagem gaulesa do Uderzo?

Feridas disse...

Eh pá, pois era, por acaso era...

Calos disse...

Realmente...depois de catalinatabelatxintxix...

Feridas disse...

Não, Ohcatarinetabelatchintchix