quarta-feira, 10 de Novembro de 2010

CONVERSAS DE RAPARIGAS - II


A verdadeira cereja no bolo das conversas de raparigas, o mito urbano.
A CONVERSA DE CASA DE BANHO
De que é que as mulheres falam na casa de banho? (é a pergunta chave, precedida da outra, mais existencial, porque é que as mulheres vão sempre à casa de banho aos pares?)
Aqui estão algumas das frases mais comuns:
- Segura-me a porta.
- Não há papel, tens um lenço?
- Tens um foguete na meia.
- Então, vocês já?...
Pronto, basicamente é só isto.
Quando se podia fumar, ainda se partilhava um cigarrinho rapidamente, agora já nem isso.
Durante o resto do tempo apenas nos limitamos a guerrear por um bocadinho de espelho, empurrando-nos delicada mas secamente, numa espécie de guerra fria, em que as meninas que não estão connosco nos olham sempre com aquela expressão de quem nos está chamar “Cabra!” (e, acreditem, ninguém consegue dizer "cabra" com tanta intensidade como uma mulher...)
Entre as que querem apenas lavar as mãos, as que retocam o rímel e as que espremem borbulhas, lá se vão ouvindo retalhos de conversas, essas sim, as verdadeiras conversas de casa de banho.
A maior parte das vezes está-se simplesmente, a dizer mal de alguém. Nunca repararam que se três raparigas estão juntas e uma sai as restantes começam imediatamente a dizer mal da que saiu. E se essa voltar e sair outra, o processo recomeça…
Outro cliché é falar de namorados.
Mas isso fica para uma próxima oportunidade.

2 comentários:

Anónimo disse...

Minhas Senhoras, por curiosidade gostava de saber se na porta da casa de banho das Senhoras também há escritos de uma evidente sabedoria popular,como acontece na dos homens? Se bem que ultimamente nas dos homens as coisas já não são como dantes,actualmentea maioria dos escritos são de gajos a pedir biberon a camionistas,realmente isto está a mudar...

Feridas disse...

Sim, as portas das casas de banho das senhoras costumam ter mensagens, mas a maior parte delas revela uma deprimente falta de imaginação, costumam ser do teor "Vanessa ama Fábio" e assim. Raramente se encontra um citação filosófica, ou um poema digno do nome...